Colheita da mandioca avança e qualidade do produto melhora no Paraná

por guaranoticias

Atualizado às 09h12

O avanço da colheita e a melhora na qualidade e nos preços da mandioca são destaques do Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária, referente à semana de 6 a 12 de maio, divulgado nesta quinta-feira (12) pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

A colheita da mandioca foi favorecida pelas boas condições climáticas das últimas semanas e já chegou a cerca de 26% dos 130 mil hectares plantados. Esta área representa uma redução de 2% em relação à safra passada, e a produção, estimada em 2,8 milhões de toneladas, será 7% menor. De acordo com o Deral, a principal causa da queda na produção é a estiagem ao longo de 2021 no Paraná, que atingiu todas as regiões produtoras da raiz.

Diante deste quadro, a demanda industrial continua fortalecida, porém a oferta de matéria-prima ainda não atende plenamente à capacidade instalada. A qualidade das lavouras colhidas vem melhorando nas últimas semanas e o teor de amido está aumentando. Com isso, e mediante os excelentes preços praticados, os produtores apresentaram mais interesse pela comercialização. Mesmo assim, devido aos efeitos da estiagem, ainda existe uma defasagem entre a oferta de matéria-prima e a capacidade industrial instalada em torno de 40%.

Os produtores paranaenses receberam na última semana, em média, R$ 763,00 por tonelada de mandioca posta na indústria. Esse valor representa um aumento de 5% em relação ao período anterior. A fécula, no atacado, foi comercializada a R$ 114,00 a saca de 25 kg, aumento de 3,4%. E a farinha vendida por R$ 156,00 a saca de 50kg, com redução de 1% em relação à semana anterior.

Já comparativamente ao mesmo período do ano passado, o preço recebido pelo produtor de mandioca subiu em 63%, a fécula teve um aumento de 65% e a farinha registrou crescimento de 63%.

FRUTICULTURA – O Boletim também traz informações sobre a produção de tangerina. Em 2020, o Brasil colheu 1 milhão de toneladas em 55,5 mil hectares, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estado de São Paulo, principal fornecedor da fruta para o País, contribuiu com 32,9% do volume.

O Paraná ocupa o 3º lugar no ranqueamento da produção de tangerinas do Brasil e o município de Cerro Azul, no Vale do Ribeira, é o principal em oferta nacional da fruta, respondendo por 9,6% da produção e 10% do VBP nacional.

 

Fonte: AEN Paraná – acesso em 13/05/2022 – https://www.aen.pr.gov.br/Noticia/Colheita-da-mandioca-avanca-e-qualidade-do-produto-melhora-no-Parana

 

Foto: Paula Neves (ilustrativa)

Comentários