Ensino cívico-militar em Laranjeiras do Sul e Palmital tem o apoio de pais e professores

por guaranoticias

Atualizado às 13h11

Pais, responsáveis e a comunidade escolar dos colégios Érico Veríssimo, de Laranjeiras do Sul, e João Cavalli da Costa, de Palmital, votaram esta semana a favor da implantação do ensino cívico-militar.

Ambas as unidades de ensino estão entre os 215 colégios estaduais de 117 municípios paranaenses que foram selecionados pela Secretaria de Educação.

No Érico Veríssimo, em Laranjeiras, a votação entre pais e responsáveis ficou em 230 favoráveis à implantação e quatro contrários. Em Palmital, mais de 80% da comunidade escolar optou pelo ensino cívico-militar, com 241 votos favoráveis e 55 contrários à proposta.

O deputado Artagão Júnior visitou os dois municípios, nesta quinta-feira (29), e enalteceu o resultado das votações.

“Há poucos dias aprovamos a lei na Assembleia Legislativa, permitindo ao Governo do Estado a implantação dos colégios cívico-militares. Mas a implantação dependia da aprovação dos pais e comunidade escolar, que têm sido amplamente favoráveis. Os professores vão continuar em sala de aula, transmitindo o conhecimento, e os policiais vão ajudar administrativamente e na questão do valor, do respeito, disciplina e hierarquia. O respeito ao aluno, ao próximo, ao professor, às leis e às regras. A sociedade precisa desses valores”, ressaltou o parlamentar.

“Onde esse método já existe no Brasil os resultados são positivos. É uma conquista importante de toda a sociedade que nós pudemos participar”, concluiu Artagão.

O projeto

A nova modalidade de ensino funcionará com gestão compartilhada entre militares e civis em escolas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio. As aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto os militares serão responsáveis pela infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares. Haverá um diretor-geral e um diretor-auxiliar civis, além de um diretor cívico-militar e de dois a quatro monitores militares, conforme o tamanho da escola.

Um dos diferenciais é o aumento da carga horária curricular, com aulas extras de português, matemática e valores éticos e constitucionais.

Assessoria de Imprensa

Deputado Estadual Artagão Júnior

Jornalista Victor Almeida

Comentários